O Graal .:. MG

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Diário de Esther Nightroad

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Diário de Esther Nightroad em Sex Abr 05, 2013 2:53 am

Laura Scaldaferri

avatar
Ministro
Ministro
Já se passaram meses desde que atualizei este diário pela última vez! Ainda me pergunto porque o mantenho comigo se pouquíssimas vezes tenho oportunidade de escrever, ler e refletir sobre a vida... mas tenho medo de um dia esquecer o que eu sou ou o que eu busco nessa vida.

Após algumas desavenças em uma pequena vila que estava sendo invadida por monstros desordeiros que mataram o prefeito e tentavam colocar monges contra nós, fui convocada para uma investigação ao norte de Ashigatake, próxima a uma cidade portuária, sendo assim obrigada a me afastar do pelotão do General Faelon. Acredito nunca ter me sentido tão insegura e desprotegida como naquele momento. Já havia alguns anos que não me afastava do General para atividades com outros grupos, e agora me perguntava quem poderia cobrir minha retaguarda? Em quem poderia confiar para isso?

O novo grupo em que fui encaixada para investigação era jovem e inexperiente de mais para a missão que nos foi dada, assim sofremos rapidamente uma perda significativa em número. Uma vez já detectadas as estruturas de segurança e o local em que meus companheiros estavam sendo mantidos, enviei uma mensagem de urgência ao General em busca de reforços, ou melhor dizendo, de um resgate.

Me sentia uma completa inutil! Como depois de anos em investigações eu poderia me deixar abater tão facilmente, e pior, sem conseguir resistir nem por um momento. Chego a conclusão hoje que havia me acostumado de mais com a segurança do meu pelotão, e com isso ficado bem menos determinada e forte...

Os dias em carcere foram agonizantes, minha magia era absorvida pela área de controle, e me sentia cada vez mais incapaz sequer de me levantar. Implorava a Myuna que minha mensagem chegasse ao General... minhas esperanças se desvaneciam em meio as dores que os orcs da vigia causavam a mim e minhas companheiras de cela durante as noites sem lua... o entardecer me trazia medo e calafrios... o estalar dos chicotes soavam em meus ouvidos e os gritos de minhas companheiras me aterrorizavam enquanto eu esperava pela minha vez... seguido pela completa dormência do corpo.

Devo ser uma elfa de orgulho em excesso! Não ousei derramar uma lagrima se quer durante minhas noites de tortura... Faelon havia dito muitos anos atrás, ao me resgatar... quando nos conhecemos... que nunca mais queria me ver chorar, que eu devia ser forte e guardar suas costas com minha vida assim como ele faria com as minhas. Eu não podia desonrá-lo! Eu nunca diria a posição de meus companheiros! Eu nunca trairia o General... e se preciso morreria protegendo-os!

Aproximadamente 10 dias após minha prisão, já não me encontrava em plena consciência do que era real... devaneava em resgates milagrosos vindo dos deuses... sentia como se me corpo estivesse sendo carregado... assim adormeci...

Podia me sentir livre em meus pensamentos... um sonho talvez... reconhecia a voz de minha madre ao fundo me agradecendo... como eu a amava, estivera sempre ao meu lado, me ensinara tudo sobre o mundo dos vivos e mortos... e me protegera até o final! Viajava rapidamente por lembranças da minha vida no convento, eramos felizes... até que então ao entrar na capela... eu via o sangue vermelho a escorrer pelo altar principal... o cheiro de enxofre fincava em minhas entranhas... instantaneamente a falta de ar e o embrulho no estomago me traziam tontura... fugir!!! Mas para onde ir? Onde estava minha querida Madre? E o medo me consumia...

Aquilo para mim representava o fim... SIM! Era chegada a hora do juizo final! Eu também era uma pecadora, deveria pagar por derramar o sangue daqueles que odiava... mas de um modo completamente inesperado, a esperança voltava a pulsar em mim! Podia sentir um cheiro familiar... algo que me trazia segurança, pude me sentir em casa...

Ao abrir os olhos me encontrava nos braços do General, completamente perdida de toda a situação... mas feliz! Estava a salvo! Mais uma vez ELE estava lá...

Descobri por fim que Ashigatake foi completamente invadida, não houve como salvá-la, e que estávamos em um navio do grande cemitério nos dirigindo ao Magistério... com certeza uma oportunidade única! Afinal, quando chegassemos ao Magistério eu poderia investigar melhor sobre a Corte Vermelha (Império dos Blood Elfos) que seria representada pela sucessora do trono no Conselho das Raças.

Bastante cansada e enjoada pela viagem de navio (odeio o mar ¬¬') resolvi descansar na cabine do capitão, acreditando que ao acordar estaria já no Magistério e que lá poderia melhor me acomodar. Breve ilusão... tive a grande surpresa ao despertar de que estavamos sendo atacados por Tritões!
Oh minha amada Myuna, porque judias tanto dessa sua devota filha? >.<
Esse pequeno problema no caminho nem merece minha atenção... concertei buracos o dia todo, conheci um anjo mau-humorado e passei mau o restante da viagem... nada fora do comum para nosso pelotão! Por fim me esgotei na tentativa de purificar o navio e adormeci por alguns dias...

Despertando descobri que a tripulação havia passado por mais turbulências a caminho do Magistério, nada que mereça minha real atenção acredito... mas essa viagem parecia nunca acabar...

Finalmente avistamos uma das ilhas do território do Magistério! Impressionante como entrar em contato com uma área de magia pura trazia grande conforto ao meu corpo... acredito que já estava contaminada em excesso com magia negra!

Reconheci rapidamente que aquela se tratava da Ilha D'Terrans, devido a sua imensa muralha construída ao redor de toda a extensão visível a olho nu do território. Com certeza teremos problemas para chegar a ilha central... como sempre...

Estamos agora fazendo o recolhimento de mantimentos para desembarcarmos e tentarmos entrar na muralha... vejo de minha janela que existe um guarda na porta principal... aparentemente um mago novo...
pelo menos agora que estou novamente com o pelotão me sinto mais segura! Mesmo assim preciso ficar mais atenta, não é hora para fraquezas!

É bom ter ELE aqui pra cobrir minha retaguarda... gostaria de não ter que sair da minha posição de novo!!!
Será que poderemos no tocar novamente como antes? Ainda me lembro...


Esther Nightroad Like a Star @ heaven



Última edição por Laura Scaldaferri em Sex Maio 31, 2013 9:51 pm, editado 1 vez(es)

2 Re: Diário de Esther Nightroad em Sex Abr 05, 2013 7:30 pm

Faelon

avatar
Membro
Membro
Constrangimento geral a Fäelon e Esther... Razz

http://graal.forumeiros.net

3 Re: Diário de Esther Nightroad em Sex Abr 05, 2013 9:41 pm

Lince

avatar
Membro
Membro


E Faelon, você ainda não atualizou o Ranking!

4 Re: Diário de Esther Nightroad em Sab Abr 06, 2013 9:33 pm

Laura Scaldaferri

avatar
Ministro
Ministro
>.< nya... diários!!!

5 ENCAIXE DO LIVE DE PASCOA NA HISTÓRIA em Seg Maio 06, 2013 6:50 pm

Laura Scaldaferri

avatar
Ministro
Ministro
Chegando a Terrans fomos recebidos por um jovem mago que nos enviou a uma area de Basz Mageren, lá não sabiamos o que estava acontecendo nem existia realmente um teste como dito pelo mago! A verdade é que o objetivo do mago era coletar informações sobre quem estava chegando ao Magistério para poder enviar isso ao grande conselho.
Porém o aparecimento inesperado de LAUREON, fez os planos do mago serem desfeitos! Com sua influencia mental muito ativa, Laureon obrigou o mago a liberar os viajantes da area de retenção de Basz Mageren e em seguida apagou a memória do mago para que não fosse passadas informações em excesso ao conselho.
Assim, os viajantes retornaram ao portão de Terrans e foram liberados para entrada...

6 1ºdia sem Faelon! em Sex Jun 14, 2013 9:10 am

Laura Scaldaferri

avatar
Ministro
Ministro
Nada te dá medo quando está tudo em jogo!

Maldito seja Faelon e suas cartas...

Ilusão a minha imaginar que depois de tantas dificuldades poderia ter um pouco de paz na Ilha de Terrans, antes de chegar Congresso das Raças. Logo em minha primeira noite de descanso, nosso querido General resolve desaparecer... nada que já não tenha feito antes! Poderia ter ido patrulhar, investigar, caçar ou simplesmente se assanhar com um rabo de saia qualquer que não haveria o que nos preocuparmos... antes fosse!

Como de costume Faelon nos deixou uma carta com afazeres durante sua saída... não muito satisfatória!

Sob minha cabeceira ele deixou a carta mais bonita, inesperada e terrível que poderia escrever. Não consigo explicar a mistura de sentimentos que me dominaram ao lê-la. 
Queria me desfazer em pranto, socá-lo até a morte, abraçá-lo com força, me entregar em suas doces palavras e protege-lo a qualquer custo. Cada centímetro de meu corpo tremia de nervoso em um ponto consideravelmente crítico. Ajoelhei-me sob o pé da cama e me rendi as lágrimas, breves, mas fortes. Decidida a me recompor, lavei o rosto e me dirigi ao restante da OdME, eu deveria cumprir meu dever com Faelon, por mais que desejasse respostas para minhas milhares de perguntas sobre nosso futuro, eu sabia que não era momento para fraquejar... Faelon contava comigo e eu não o decepcionaria de maneira alguma.

continua...

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum